Ateliê Sagitário

Desabafo Artesanato

Desabafo – Artesanato

Tenho visto muitos comentários de artesãos que estão tendo seus produtos desvalorizados.  Comentários do tipo “você cobra muito caro”, “você não gastou quase nada para fazer esta peça”. Entendo que seja por  uma crescente de tutoriais no estilo “faça você mesmo”. Acho maravilhoso as pessoas compartilharem suas idéias, ensinarem o que sabem. Porém, não tem como não fazer algumas ressalvas. Há PAP’s disponíveis por toda a rede que são inspiradores, mas há outros que são sofríveis.

Acredito que os artesãos que fazem peças com amor, carinho, dedicação e respeito ao cliente sempre terão espaço e reconhecimento. Lembre-se: uma peça para ser criada necessita de planejamento, de uma ou várias tentativas para ser executada, de esmero no acabamento, de horas de pesquisa e aperfeiçoamento; e isso tudo é preço de custo e, necessariamente, faz a diferença no preço final.

Artesanato é terapia, faz parte do receituário médico e ajuda muitas pessoas a saírem de estados depressivos. Estimula o cérebro, exercita a coordenação motora, complementa renda familiar e propicia tantos outros benefícios.

Ser artesão é ser criativo, é experimentar novos materiais, novas formas de criação, é fazer muito com pouco.  Não podemos confundir artesanato com ” faça qualquer coisa”. Não sou adepta desta prática.

Uma peça artesanal é aquela que tem funcionalidade, utilidade, que decora um ambiente e que vem acompanhada do orgulho de dizer “fui eu quem fiz”. Além, é claro, da durabilidade e do ótimo acabamento.

Sou praticante do reaproveitamento: amo produzir peças com filtro de café, latas de leite em pó, vidros em geral; mas tenho visto muita coisa sem sentido (no meu ponto de vista). Peças que para serem “recicladas” necessitam de tantos outros materiais, normalmente de médio à alto custo, que perderam o real sentido da reciclagem.

Não dá para chamar de artesanato algo que você não pode usar, que só é lindo na foto ou no cenário em que é incluso. Tem que ter funcionalidade.

Segundo a lei  13.180 de 22.10.2015, “artesão é toda pessoa física que desempenha suas atividades profissionais de forma individual, associada ou cooperativada. A profissão presume o exercício de atividade predominantemente manual, que pode contar com o auxílio de ferramentas e outros equipamentos, desde que visem a assegurar qualidade, segurança e, quando couber, observância às normas oficiais aplicáveis ao produto.”

 

Opine. Critique. Comente. Elogie. Participe.

Ficarei muito feliz em saber o que pensa.

Bjsss e até o próximo.

6 Comments

  1. Fatima

    24/12/2015 at 15:25

    Excelente , não há palavras para acrescentar, você traduziu tudo o que acontece com o artesão de forma peculiar. Com sua licença divulgarei o link de sua mensagem e blog. Parabéns querida.

    1. Claudia Carbone

      24/12/2015 at 17:08

      Obrigada pelo carinho. Eu agradeço pela divulgação. Bjsss.

  2. Arizanrte oliveira

    23/12/2015 at 21:54

    Muito bem claudia, o que vc falou é a mais pura verdade, o artesanato é uma terapia maravilhosa, pena que milhoes de pessoas nao saiba reconhecer isso, estou com vc e nao abro, continue sendo essa pessoa maravilhosa que deus deu um dom tao maravilhiso que é fazer tantas pessas lindas e funcionais, um grande beijo e fica com deus. Parabens

    1. Claudia Carbone

      24/12/2015 at 17:07

      Obrigada pelo carinho. Bjsss.

  3. Yasmine

    22/12/2015 at 01:23

    Excelente reflexion, estoy de acuerdo con todo, sobre todo con los proyectos reciclados, para poder reutilizar una pieza necesitas necesariamente gastar en otros matteriales, lo que ya no seria algo barato como varios lo publican. Lo artesanal siempre sera muy valorado y eso es lo que hay que fomentar mas.
    Saludos!

    1. Claudia Carbone

      24/12/2015 at 17:06

      Gracias. Abrazos.

Leave a Reply